Comfort food, ou comida confortante: ela tem seu espaço, mas sem exageros

Não tem problema comer pudim porque ele lembra a casa da avó. Mas a comida que conforta não pode virar muleta para lidar com sentimentos que fazem sofrer

Final de ano costuma ser a época em que ficamos mais sentimentais e sensíveis. E vamos combinar que os momentos atuais estão particularmente desafiadores… A comida, muitas vezes, acaba virando um acalento frente a emoções que nem sempre são positivas.

Aquela cena clássica do cinema em que a mocinha, em lágrimas, se atraca com um pote de sorvete para se sentir acolhida em um momento triste é o retrato fiel da utilização da comida muito além da nutrição.

Comfort food, ou comida confortante, é um termo que está relacionado a esse conforto emocional e à sensação de prazer gerada a partir do consumo de alguns alimentos.

Normalmente, para algumas pessoas, as preparações reconfortantes remetem a eventos entre família e amigos, contribuindo para um sentimento nostálgico.

Alguns estudos estabelecem quatro categorias para as comfort foods:

Comidas nostálgicas: aquelas relacionadas a um período ou lugar significativo na sua história.

Comidas de indulgência: são capazes de despertar esse sentimento. O prazer obtido pelo alimento é priorizado, podendo gerar uma sensação de culpa após o consumo.

Comidas de conveniência: de fácil preparação ou obtenção. Exemplos: produtos congelados e fast foods.

Comidas de conforto físico: aquelas cuja sua composição gera sensação de prazer, bem-estar.

Não tem problema, vez ou outra, se entregar a um prato porque ele remete a boas memórias. Afinal, vale reforçar: ninguém come só para obter nutrientes.

Só que a história começa a ficar mais complexa quando a busca por comida se transforma em uma maneira de abafar situações que fazem a gente sofrer.

Exagerou em uma refeição? Sem problemas! Às vezes a gente faz isso mesmo – todo mundo come um pouco a mais em um dia.

Se sua alimentação for regular na maioria das vezes, não há motivo para preocupação. Simplesmente retome sua dieta adequada e a prática rotineira de atividade física. Tudo seguirá nos eixos.

Fonte: Saúde Abril.