Como funciona um marca-passo cardíaco e o que pode mexer com ele?

Décadas de uso e novas tecnologias aperfeiçoaram o dispositivo que controla os batimentos do peito

1. O que é o marca-passo?

Usado desde os anos 1950, trata-se de um aparelho composto de um sistema eletrônico, uma bateria e fios com eletrodos que se ligam ao coração para estimular seu batimento.

2. Onde ele fica?

O marca-passo é implantado no corpo no tecido subcutâneo (logo abaixo da pele), na região da clavícula. Os fios do eletrodo são inseridos por um vaso sanguíneo e conduzidos até as paredes do músculo cardíaco, em regiões que variam conforme o objetivo do dispositivo.

O procedimento exige apenas anestesia local com sedação, e o indivíduo tem alta geralmente em um dia.

3. Como funciona?

Os eletrodos são conduzidos até a região desejada do coração. Podem ser de um a três, nos ventrículos ou nos átrios. Eles funcionam tanto como sensor, detectando ritmos anormais no coração, quanto como estimuladores.

4. Quanto tempo dura?

A bateria do marca-passo é feita de lítio, mesmo material do celular. Mas com duração muito maior: ultrapassa os dez anos.

Para garantir o funcionamento adequado, é preciso realizar consultas periódicas, em média duas vezes ao ano. Alguns já permitem o monitoramento à distância. Sinais de alerta de mau funcionamento incluem tontura, desmaio e taquicardia.

Quem deve usar um marca-passo?

Ou algum outro dispositivo cardíaco implantável, nome técnico da categoria, que inclui ainda desfibriladores, dispositivos de ressincronização cardíaca e outros

O que pode interferir no funcionamento do marca-passo?

Fonte: Saúde Abril