Segurança e saúde no trabalho: essencial para empresas e colaboradores

Treinamentos e campanhas de conscientização podem funcionar como um reforço para que os colaboradores tenham consciência sobre a importância de seguir as políticas de segurança e evitar danos à saúde.

O tema segurança e saúde ocupacional concentra-se principalmente na proteção dos funcionários nos seus locais de trabalho contra acidentes, lesões e exposição a substâncias nocivas. Embora os acidentes possam acontecer a qualquer momento, ainda é responsabilidade do empregador garantir medidas para reduzir o risco de incidentes e manter um ambiente de trabalho seguro.

Treinamentos e campanhas de conscientização podem funcionar como um reforço para que os colaboradores tenham consciência sobre a importância de seguir as políticas de segurança e evitar danos à saúde. Em um contexto global, segurança e saúde no trabalho também são partes essenciais do movimento em direção ao desenvolvimento sustentável.

Um breve panorama sobre segurança e saúde ocupacional

Em maio de 2021, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho) divulgaram o primeiro estudo que quantificou a carga de doenças e lesões ocupacionais relacionadas ao trabalho. O relatório de monitoramento global, que considerou os anos 2000-2016, mostrou que a maioria das mortes relacionadas ao trabalho foi devido a doenças respiratórias e cardiovasculares e, em menor proporção, a lesões ocupacionais.

O estudo da OMS/OIT considera 19 fatores de risco ocupacionais, incluindo longas jornadas de trabalho e exposição no local de trabalho à poluição do ar (partículas e gases), asmagênicos, cancerígenos, fatores de risco ergonômicos e ruídos.

No Brasil, indicadores atualizados do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho apontaram que mais de 21 mil óbitos acidentários foram registrados entre 2012 e 2020. Em 2020, ano de início da pandemia Covid-19, os acidentes de trabalho graves notificados ao Ministério da Saúde subiram 40%. Auxílios-doença por depressão, ansiedade, estresse e outros transtornos mentais e comportamentais cresceram 30%.

Os dados citados acima mostram a dimensão real de como as doenças e lesões relacionadas ao trabalho reduzem a produtividade das empresas, exigem aposentadorias antecipadas dispendiosas, sobrecarregam os sistemas de saúde, afetam o PIB (Produto Interno Bruto) dos países e a renda familiar, podendo ter um impacto social catastrófico.

No entanto, muitas dessas tragédias são evitáveis por meio da implementação de práticas sólidas de prevenção, notificação e inspeção. No Brasil existe uma série de normas de SST (Saúde e Segurança no Trabalho) aplicadas nas organizações, cuja responsabilidade está a cargo da Coordenação-Geral de Segurança e Saúde no Trabalho – CGSST, vinculada à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, no âmbito do Ministério da Economia.

As Normas Regulamentadoras (NRs) determinam como cada empresa deve praticar a segurança do trabalho de acordo com sua atividade e porte, inclusive são descritas as penalidades e multas caso estas exigências sejam descumpridas.

Trabalhando com segurança durante a pandemia Covid-19

Durante a pandemia de Covid-19, as medidas de prevenção e de estímulo à saúde e segurança no trabalho ganharam ainda mais importância. A publicação da OIT afirma que “é necessário um acompanhamento contínuo das condições de SST e uma avaliação adequada dos riscos para garantir que as medidas de controle relacionadas ao risco de contágio sejam adaptadas aos processos, condições de trabalho e características específicas da mão de obra durante o período crítico de contágio e posteriormente”.

Este documento traz uma série de riscos profissionais e medidas de proteção de saúde e segurança do trabalho. Para controlar o risco de contágio, por exemplo, é indicado fazer avaliações sobre questões de distanciamento físico, higiene, limpeza do local, uso de EPI, etc. Também há medidas específicas para proteger trabalhadores como a possibilidade do trabalho flexível (home office), acesso à assistência médica e expansão das licenças remuneradas.

Razões pelas quais a segurança e saúde no trabalho são importantes:

- É moralmente correto garantir que trabalhadores retornem às suas casas seguros e saudáveis no final de cada dia de trabalho;

- Ao proteger funcionários, uma empresa reduz faltas, garantindo que o local de trabalho seja mais eficiente e produtivo;

- Pesquisas mostram que os trabalhadores são mais produtivos em locais de trabalho comprometidos com a saúde e a segurança;

- Reduzir o tempo de inatividade causado por doenças e acidentes significa menos interrupções – e economia para as empresas;

- Em alguns países, a legislação de segurança e saúde é lei criminal. Violações legais podem resultar em processos, multas e até prisão de executivos seniores.

- Para atrair investidores e parceiros, as empresas precisam demonstrar seu compromisso com a sustentabilidade e a responsabilidade social corporativa, que inclui a proteção dos seus colaboradores.

- Cada vez mais consumidores buscam produtos e serviços produzidos de forma ética – portanto, a ética deve fazer parte de toda a cadeia de produção, que inclui a mão de obra.

- Fortes práticas de responsabilidade corporativa e sustentabilidade também atraem e retêm os melhores funcionários.

Fonte: News Rondonia